debate sobre ambiente de negocios

Ambiente de negócios no Brasil em debate no Baixo Suíça

7 de ago de 2016

O ambiente de negócios no Brasil foi tema de debate entre multinacionais suíças estabelecidas no país e instituições que promovem o intercâmbio comercial e tecnológico entre os países na tarde deste sábado na House of Switzerland 2016. O evento foi aberto pelo presidente da Confederação Suíça, Johann Schneider-Ammann (na foto abaixo).  “Estive em visita no Brasil nos últimos dias e fiquei muito feliz com o que foi discutido com o Ministério de Relações Exteriores sobre os avanços de um acordo de livre comércio [entre o Mercosul e Associação Europeia de Livre-Comércio, composta pela Suíça e Noruega, Islândia e Liechtenstein]”, comentou. Antes de vir ao Brasil, o presidente esteve na Colômbia, onde discutiu não apenas questões de cooperação econômica, mas também maneiras de ajudar no processo de paz do país.

Johann Schneider-Ammann

O primeiro painel contou com a participação de representantes de multinacionais suíças no Brasil,  que discutiram os desafios e oportunidades do mercado brasileiro.  Michel Jost, da Nestlé do Brasil, apresentou as principais atividades da empresa, que completa 150 anos em 2016. “Nossos produtos estão no Brasil há 130 anos. Em 1921, estabelecemos nossa primeira fábrica aqui e hoje temos 31 fábricas em sete estados”, disse. Christophe Chenut, do Richemont Group, falou sobre produtos de luxo no mercado brasileiro. “Nossa primeira loja no Brasil foi aberta em 2012 e hoje temos 18. Estamos fazendo um trabalho de construção da nossa imagem, pois aqui existe uma cultura de comprar estes produtos de luxo fora do país”, comentou.

Em relação aos fatores de sucesso para promover negócios no Brasil, Maria Teresa Soares, da Geobrugg AG, líder global no fornecimento de redes de proteção e malhas de fios de aço de alta resistência, destacou o tamanho do mercado e o perfil empreendedor dos brasileiros. Thierry Martin da Nagra Media Brasil, que desenvolve software e hardware para empresas de TV por assinatura, reforçou as potencialidades do Brasil: “Temos 60% de market share com dois produtos, o que é algo representativo. Estamos em um ano de desafios no Brasil e o que funcionar agora, funcionará por um bom tempo”.

No painel institucional, Jean-Luc Mossier, diretor do Canton Fribourg Development Agency, apresentou as iniciativas para promover cooperação entre o cantão de Fribourg e o Brasil. Jean-Marc Brunner, CEO do Swiss Integrative Center for Human Health, falou sobre o que tem sido feito para ajudar a indústria brasileira a inovar, por meio de tecnologias suíças. Os painéis foram moderados por Emanuel Baltis, presidente da Câmara de Comércio Suíça-Brasileira (SwissCam), Thomas Foerst, diretor do Swiss Business Hub Brasil, e Gioia Deucher, CEO do Swissnex Brasil, representantes das instituições que promoveram o evento.

Ao final, Nicolas Bideau, embaixador da Presença Suíça, apresentou o conceito da House of Switzerland aos empresários presentes. “Primeiro, queremos que esta seja a vila dos atletas, que eles possam se sentir em casa aqui e que possamos celebrar as medalhas. Também queremos fazer com que as pessoas explorem a Suíça de modo natural aqui, como se estivessem em uma vila suíça”, afirmou.